Titulo Original: Domingo à Tarde
Portugal, 1965
Cor/PB 90'   Clássicos Portugueses
 
 

Jorge é o médico responsável pelo Departamento de Hematologia de um grande hospital. Um dia conhece Clarisse, uma doente com leucemia em estado avançado, e apaixona-se por ela. A sua luta para a salvar do inevitável fracassa, e Jorge terá de lidar com um futuro sem esperança.
Uma adaptação do romance homónimo de Fernando Namora.

Lingua: Português

Elenco
Isabel de Castro, Ruy de Carvalho, Isabel Ruth

Realizador: António de Macedo

Produção: António da Cunha Telles


Festivais
Festival de Veneza - Competição Oficial

Versões: Versão Original

Disponibilidade: Todo o Mundo

 
   
António de Macedo nasceu em Lisboa em 1931. Escritor, cineasta e prof. universitário, frequentou a Faculdade de Letras da Universidade Clássica (Curso de Ciências Pedagógicas e antigo curso de Literaturas Clássicas—Grega, Latina e Portuguesa) e a Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa, onde se formou em Arquitectura em 1958. Exerceu durante alguns anos a profissão de arquitecto que abandonou em 1964 para se dedicar à actividade de cineasta, escritor e professor.
Inclui na sua extensa filmografia dezenas de documentários, programas televisivos e filmes de intervenção sociopolítiva, bem como onze longas-metragens de ficção, entre as quais se destacam Domingo à Tarde (1965), Nojo aos Cães (1970), A Promessa (1972), O Princípio da Sabedoria (1975), As Horas de Maria (1976), Os Abismos da Meia-Noite (1982), Os Emissários de Khalôm (1987), A Maldição de Marialva (1989), Chá Forte com Limão (1993), etc., alguns deles de ficção fantástica e de ficção científica.
Entre os seus livros contam-se, no ensaísmo, A Evolução Estética do Cinema (1959-1960), Da Essência da Libertação (1961), Instruções Iniciáticas (1999), Laboratório Mágico (2002), O Neoprofetismo e a Nova Gnose (2003), Esoterismo da Bíblia (2006) e Textos Neo-Gnósticos (2006); — no teatro, as peças A Pomba (1983), A Nova Ilusão (1984) e O Osso de Mafoma (1989); — e, na ficção, O Limite de Rudzky (1992), Contos do Androthélys (1993), Sulphira & Lucyphur (1995), A Sonata de Cristal (1996), Erotosofia (1998), O Cipreste Apaixonado (2000), As Furtivas Pegadas da Serpente (2004) e A Conspiração dos Abandonados (2007).
Paralelamente, especializou-se na investigação e estudo das religiões comparadas, de esoterologia, de história da filosofia e da estética audiovisual, e das formas literárias e fílmicas de «speculative fiction», temas que tem abordado em inúmeros colóquios e conferências, e em diversas publicações.
Tem leccionado em diversas instituições de ensino desde 1971: INP e IADE (disciplinas: «Realização Cinematográfica», «Estética e Teoria de Cinema» e «Análise de Imagem»), Universidade Lusófona («Análise de Imagem»), Escola Oficinactores («O Actor e a Câmara» e «História e Estudo da Arte Narrativa»), Universidade Moderna («Escrita de Cinema», «Realização Cinematográfica» e «Montagem»).
Foi homenageado pelo 30.º Festival Internacional de Cinema da Figueira da Foz, em Setembro de 2001, pelo contributo prestado à cultura cinematográfica portuguesa, e em Maio de 2007 recebeu o Prémio Consagração de Carreira, da Sociedade Portuguesa de Autores.
Docente, desde 2002, no ISER—Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (curso livre de «Introdução ao Estudo do Esoterismo Bíblico»), doutorou-se em Sociologia da Cultura, pela mesma Universidade, em 2010, com distinção e louvor.
 
index +